Publicidade

quinta-feira, 14 de abril de 2011

A HISTÓRIA DA ONG DA RUTE: como eu comecei tudo isso!

Então...
Decidi escrever um pouco, contar como comecei a fazer meu trabalho voluntário, que é o de disponibilizar vagas de emprego, desde set/2008, num blog (antes eu tinha um mailing), além de divulgar currículos e dicas de entrevista, de como montar um currículo, etc, noutro blog.
Decidi fazer isso porque hoje, mais uma vez, recebi um email de uma pessoa reclamando pelo fato de seu currículo estar postado no blog de currículos, que é o http://ongdarutecv.blogspot.com/

Outras vezes eu já me senti desconfortável, incomodada mesmo, com esse tipo de reação. Hoje também... mas hoje foi mais “punk”, pois a pessoa escreveu o seguinte:
"Boa tarde, devido a sérios problemas que estou tendo por causa que vocês estão disponibilizando meu endereço  e telefone particulares em sites de busca, acabei de denunciar o Bolg Ong da Rute por abuso.

Pô! Denunciada por abuso!! Foi demais!

Em função disso resolvi escrever como e o porquê de eu ter começado a fazer este trabalho voluntário.

Está fazendo mais de 14 anos que eu comecei a fazer isso. Lembrei que isso significa que meu filho tinha 15 anos e minha filha tinha apenas 10 anos.
Digamos que isso não fez eu me sentir muito confortável e, talvez tenha sido a primeira vez que vi com clareza o quanto distante deles fui ficando em prol deste trabalho. E eles eram tão pequeninos, tão jovens ainda...

Lembro deles reclamarem muito disso, da minha ausência, dos finais de semana e feriados em que eu ficava enclausurada aqui enviando emails com vagas, emails com currículos, ... das manhãs que eles acordavam e descobriam que eu não havia dormido ainda... e nem dormia, pois tinha que trabalhar. Eu sempre dizia a eles que não conseguia deixar de fazer aquilo, uma vez que eu havia recebido as vagas, por email... e sabia que havia muitas pessoas precisando de um emprego... Como eu poderia deixar de possibilitar a elas a chance de conseguir um emprego?
Um email que eu enviasse, um post que eu fizesse no blog... era a chance de poder fazer a diferença para uma pessoa, UMA  que fosse.

Como comecei:
Meu filho, aos 15 anos foi trabalhar (era necessário). Ficou pouco mais de 1 ano e teve de sair, pois, devido ao excesso de pó, desenvolveu uma alergia... a famosa rinite.
E aí começou a saga de procurar um estágio ou emprego. Realmente foi muito difícil.

Paralelo a isso, os meus orientandos do curso técnico, na área de Informática, precisavam de estágio para poder concluir o curso e, mais uma vez a dificuldade de conseguirem um estágio, principalmente, de conseguirem um BOM estágio, onde realmente pudessem aplicar o que haviam aprendido e aprender mais.

Vendo tudo isso, eu comecei a ajudá-los... falava com amigos que trabalhavam em empresas e os questionava se não precisavam de bons estagiários... (modéstia à parte, os meus orientandos eram nota DEZ). Assim eles conseguiam seus estágios e, como trabalhavam bem, as pessoas passaram a me conhecer como “a professora que tinha ótimos alunos”, então, quando alguém comentava que procurava bons estagiários na área de Informática, meus amigos me indicavam... depois passei a ser indicada por gente que eu não conhecia e nem nunca conheci.
Uma vez que meus orientandos estavam empregados, comecei a indicar outros alunos, mas pedia o currículo para eles... e meu banco de currículos foi crescendo, crescendo...
Por vezes a procura por estagiários era maior que a quantidade de currículos, outras era o inverso...
Como eu trabalho (trabalhava) numa instituição de ensino onde existem cursos das mais variadas áreas e eu ministrava aula em quase todos, passei a receber solicitação de estagiários para outras áreas... Eu tinha os emails de todos meus alunos, então encaminhava as vagas a eles, que me enviavam seus currículos... depois os currículos de irmãos, primos, amigos, pai, mãe, sogro... sogro?
Quando eu recebi o currículo de uma aluna, pedindo para eu encaminhar o currículo do sogro dela, levei um susto: como assim? O que eu tenho em minhas mãos?
Realmente fui me questionando sobre tudo isso que eu fazia e, dei-me conta que eu já não fazia outra coisa a não ser trabalhar e ... enviar emails com vagas e emails com currículos para mais de 5000 (cinco mil) emails. Com a internet lenta, imaginem a quantidade de horas que isso levava!
Eu recebia as vagas e, como vinham muito bagunçadas, ou com erros de português, eu as corrigia, formatava para que ficassem mais claras e as enviava.

Ah! No inicio eu abria cada email e fazia observações, devolvendo-os aos seus donos, caso eu percebesse (na minha visão) que não estavam bem elaborados... depois não consegui mais tempo para fazer isso.

Um dia meu cunhado me deu a idéia de criar um blog. Relutei por muito tempo.
Em 2008, após passar por duas cirurgias em 3 meses, sendo uma do coração... devido a stress (imaginem a reação de meus filhos, ao saberem disso... sendo que, após a cirurgia, o bendito coraçãozinho quase foi a zero... cansou —Pô, eu já levei choque im my heart! ...Não, eu não vi a “luzinha”, nem nada...).  Em função de tudo, eu precisei tirar licença saúde.
Ao chegar do hospital e ver todas aquelas vagas na minha conta de email, senti-me muito mal...
Sabia que poderia haver famílias desestruturadas porque o pai, ou a mãe, ou mesmo um filho estava desempregado... e eu com tudo isso aqui... Já havia recebido emails de pessoas que dizem estar há meses desempregadas, em depressão, sem vontade de sair de casa... E eu tenho dois filhos que também passaram por dificuldades quanto a isso, no decorrer dos anos...
 
Então, escondida deles, quando eles iam trabalhar, eu decidi criar o blog http://ongdarute.blogspot.com/ .
Pensei: agora terei mais tempo para mim.
Ledo engano!
Se passei a ter algum tempo a mais... ora, que é isso?? Fui atrás de mais vagas, assinei fóruns, escrevi para empresas...
Mais uma vez, passava noites em claro, postando...

Um aluno, o Lucas, soube que eu fazia isso, então se ofereceu para me ajudar. Aceitei, e foi a melhor coisa que eu podia ter feito, pois aprendi a aceitar que outras pessoas podem ajudar a fazer isso. Tem épocas que tem apenas uma pessoa ajudando, na maioria das vezes ficam uns 3 ou 4, mas poucos permanecem por muito tempo, uma vez que todos tem suas vidas.... Atualmente têm 4 pessoas ajudando na postagem das vagas. Já teve gente ajudando, de outros estados, que eu nunca conheci!

Hoje, o Lucas, o pioneiro, é quem me ajuda com os currículos. Cada um que eu recebo, envio para ele dar o nome correto, verificar se têm dados pessoais, retirá-los, quando possível. Depois ele me encaminha de volta para que eu possa “upá-los” para o servidor e colocar os respectivos links nos nomes que ele já postou lá no blog. Uma grande parceria!

Então, apesar de todas as dificuldades (não dá para escrever tudo, né?!), eu não consegui desistir. Muitas vezes chorei de cansaço, ou por algumas incompreensões. Então pensava em parar, mas, o engraçado que meus próprios filhos eram quem me incentivavam a continuar... que me lembravam dos emails que eu recebia (postarei alguns deles em breve) de gente que implorava por emprego, de gente que agradecia por tudo isso que eu fazia. E eu continuava, continuava...

Em 2009, por indicação e insistência de uma aluna, a Tatiana, o meu blog concorreu ao Prêmio TopBlog e conseguiu o 1º lugar na categoria Variedades Profissional.
Em 2010, concorreu novamente e conseguiu o 2º lugar.

As pessoas me perguntam o por quê eu faço isso, uma vez que não recebo nada, nem financeiramente e nem de qualquer outra forma...
Realmente, nem eu e nem as pessoas que ajudam a postar, no blog, as vagas que eu envio a elas, recebemos qualquer coisa.

Mas, saber que, com este trabalho, é possível levar esperança a muitas pessoas; saber que é possível fazer a diferença para elas... é o suficiente para pensar:
- “Vai lá, Rutinha! Continua! Não desista nunca!!”

É isso!
Em outro post vou contar mais coisas sobre isso... Afinal, são 14 anos de história!

6 comentários:

odila-garcia disse...

Rutinha, querida, mesmo conhecendo sua história, me emocionei muito ao ler os detalhes.
Você não pode jamais deixar de fazer isso, pois é um gesto de carinho, solidariedade e honestidade.
Quem a conhece sabe quanto Amor existe nesse coração.
Siga em frente,pois com certeza esse seu trabalho voluntário só pode ser um Dom de Deus.
Beijo
Odila

cid cancer disse...

Querida, impossível ficar impassível ao ler seu breve relato da história da 'ongdarute' e seu trabalho voluntário na divulgação de vagas de trabalho e de currículos. É de fazer os olhos brilharem...

Lidar com pessoas é uma arte, que dirá de quem sequer se conhece. Estamos todos sujeitos a desencontros e mal-entendidos, e esse episódio com a denúncia do blog não passa de coisa de quem desconhece ou não tem sensibilidade para perceber o alcance de seu trabalho.

No fundo, o gesto da moça não passa de uma bobagem, mas que pegou você no contrapé do trabalho acumulado e das noites mal-dormidas (quando dormidas), a gota que transborda...

O episódio propicia porém a discussão sobre um trabalho que se quer - e precisa ser - coletivo, desafogando sua rotina já carregada pelas aulas na universidade. Além de seus colaboradores habituais e/ou eventuais, a ong precisa do engajamento compromissado dos que acreditam nesse trabalho de divulgação eletrônica de vagas e currículos. De minha parte, coloco-me à disposição.

Entendo seu desapontamento e o sentimento de injustiça que isso provocou. Não deve ter sido fácil mesmo, mas veja nisso um oportunidade para avançar. Como você mesma costuma dizer, o caminho se faz ao caminhar. Continue caminhando, esse é o caminho.

Fique com meu carinho e minha solidariedade.

cid cancer
mogi das cruzes/sp

JOSE LUIZ MACHADO LOPES disse...

Rute. Minha querida Professora de informática. Fiquei muito feliz e orgulhoso de ver o teu Blog. Já sabia que eras uma Pessoa Muito Especial. Que Deus continue te iluminando e te dando saúde para continuares este lindo trabalho!
Teu eterno aluno José Luiz Machado Lopes - Colega da nossa querida Escola Técnica.
Um abraço e um beijo bem fraterno.

Julio Wohlgemuth disse...

Belo trabalho! Sou o visitante 34044. Valeu!

Rute disse...

Meus queridos, Odila, Cid, José Luiz e Julio... muito gentis vocêds terem comentado essa postagem.
Este é um fragmento da história da Ong da Rute (q não é uma ong e sim, apenas um blog com nome de ong), ou melhor, deste trabalho voluntário q , creio eu, jamais conseguirei deixar de fazer.
A vinda de vcs, os comentários de vcs são um estímulo para que isso continue e cresça,pois é o q eu mais quero, q cresça para ajudar muitas pessoas,como deve ser feito.
Hoje ajuda, eu sei... recebo muitos emails com isso, mas... tem de ser feito muito mais em prol de outrem q necessita e q nós, de uma forma ou outra, conseguimos ajudar.
Um forte abraço a todos vcs
Rute

Luciana disse...

Olá Rute,


Descobri seu blog há poucos dias, devido à minha busca desesperada por um emprego. Ainda não consegui nada, mas não perco a esperança. Acredito que seu trabalho certamente ajudou, ajuda e ajudará muitas pessoas nesta situação, mesmo sem lhes conseguir um emprego, somente lhes renovando a esperança de que dias melhores virão. Você está fazendo algo maravilhoso. Muito Obrigada
Luciana