Publicidade

terça-feira, 16 de outubro de 2007

...cegaríamos para as utopias


"Nenhuma mudança se funda no nada, na negação da história ou da realidade ou das suas aparências, por mais efêmeras que se apresentem aos nossos olhos, quando eles vêem para fora.Todas as utopias se reportam ao que existe e tudo o que existe aspira o que não existe. O que não existe precisa do que existe - como se fosse a sua face mais oculta. Daí que o olhar para dentro e o olhar para fora não sejam olhares inimigos ou disjuntivos. São olhares que se vêem também um ao outro e que eroticamente se desejam, aspirando à comunhão. Olhar apenas para fora ou para dentro seria dolorosamente insuportável. Se tivéssemos apenas olhos para o que existe - não veríamos o que falta e cegaríamos para as utopias." 
(Págs. 8 e 9, do livro A Escola com que sempre sonhei  Sem imaginar que Pudesse Existir, de Rubem Alves)


Obrgada, cara amiga Nilce!

2 comentários:

GR CMS disse...

Olá, por favor, você poderia me informar o livro de Rubem Alves que traz esta fala? Já li alguns livros dele e acho que esta é daquele livro que trata da Escola da Ponte. Estou certa? Pergunto, porque se for, precisarei reler o livro para encontrar a citação. Muito obrigada, Clotildes Cazé.

Rute Vera Maria Favero disse...

GR CMS, esta citação está nas páginas 8 e 9, do livro A Escola com que sempre sonhei Sem imaginar que Pudesse Existir, de Rubem Alves.
Podes ver isso aqui, caso não estejas com o livro: http://migre.me/tsOrn
Um abraço e obrigada por acessar o meu blog!
Rute